Meu Contato:

E-mail: fernando_montanheiro@hotmail.com

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Dicas para se Fazer uma Boa Confissão



Querido(a) jovem irmão(ã) de caminhada. Encontrei um subsídio bem simples sobre algumas dicas para fazer uma boa confissão, que recebi certa vez que fui me confessar. Gostei muito e orientei minha vida a partir dele. Resolvi publicar aqui para partilhar com vocês.

Seguem as dicas:

1º) Aproveite o tempo em que você está na fila de confissão para examinar sua consciência a respeito de tudo que fez ou deixou de fazer por omissão, não deixe para tentar lembrar-se quando estiver diante do padre.

2º) Confesse apenas os seus pecados, não de outras pessoas (familiares, filhos, esposo, esposa, ou vizinhos).

3º) Não é necessário dizer ao confessor aqueles pecados que você não fez (por exemplo: eu não roubei, eu não isso ou aquilo...). Fale só o que, de fato, fez, inclusive as suas omissões.

4º) Não é momento de fazer inventário de tudo o que você realiza de prática cristã. (Ir a missa, rezar o terço, novenas, etc), nem mesmo para pedir informações sobre outros assuntos, como cursos, sacramentos, missas, etc.

5º) Ao terminar a confissão diga ao Padre: "É só isso que gostaria de confessar..." assim, o padre pode proceder a absolvição.

6º) Este momento é para uma confissão, o que é diferen te de uma "orientação espiritual". Caso você precise demorar-se mais com o sacerdote, marque na secretaria um horário para você. Portanto, não se irrite quando o sacerdote lhe comunica que este momento é só para confissão.

7º) Não venha para o confessionário apenas para pedir uma bênção. Elas são dadas em outras ocasiões ou quando solicitamos aos sacerdotes, menos no confessionário.

8º) O sacramento que é administrado no confessionário é exclusivamente o da confissão. Não vá ao confessionário à procura de Unção dos enfermos. Para isso, procure o padre durante a semana nos atendimentos na secretaria.

9º) Se você percebe que há, na fila, pessoa muito idosa, grávida, excepcional ou doente, seja caridoso. Deixe que ela confesse na sua vez.

10º) Lembre-se: Sentimentos não são pecados, pois não podem ser avaliados como critérios morais. Sentimentos são apenas sentimentos.

11º) Confesse sempre segundo a sua consciência e nunca por imposição ou desejo de outras pessoas.

Estas são algumas dicas. Agora, lembre-se de que não basta falar com o padre os seus pecados. Você deve também estar arrependido e firmemente decidido a não cometer mais o erro, confiando no auxílio de graça de Deus.

Deus te abençoe e boa confissão!

"A confissão das más ações é o passo inicial para a prática de boas ações." (Santo Agostinho)

Lembrando que o sacerdote pode pedir para que você reze o Ato de Contrição. Segue abaixo o Ato de Contrição que foi publicado em 20 de março de 2005 no "compêndio do Catecismo da Igreja Católica" por uma comissão de cardeais, presidida pelo Papa Bento XVI e com ajuda de especialistas colaboradores.

Ato de Contrição:
“Meu Deus, eu me arrependo de todo o coração de vos Ter ofendido, porque sois tão bom e amável. Prometo firmemente, ajudado com a vossa graça, fazer penitência e fugir às ocasiões de pecado. Amém”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário